De tudo um pouco

window, old, janela, velha, ruína
©danielperez

Quando era criança via meu pai trabalhando e queria ser como ele: bom naquilo que faz! Com o passar dos anos percebi uma forte tendência ao aprofundamento nas especializações em todas as áreas. Não obstante ser bom, também precisava ser especialista. Em algumas áreas, como a medicina por exemplo, isso acentua-se até os dias de hoje. Em outras, o processo inverteu-se: na busca da ascensão meteórica de suas carreiras os profissionais passaram a exercer funções multitarefas. Questões do tipo “até que ponto isso é saudável?” Eram sufocadas pelo aparecimento de uma galera nascida nas entranhas da tecnologia e o desespero crescente por produtividade nas empresas. Porém, onde abundam energia, ambição  e conhecimento, por vezes minguam a experiência e sentimento de grupo, a subordinação e a ética. Outras vezes funciona bem. Como saber? Uma coisa é certa: dedicação, sabedoria, disposição e interesse no trabalho são sempre bem recebidos.

Se já não é o bastante ser bom naquilo que faz e se não é possível ser o melhor em tudo, talvez reste-nos procurar fazer de tudo um pouco. Tudo sempre bem feito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s